Vamos fazer a experiência da Lectio Divina?

junho 02, 2017

Ir. Gabriel Maria Mãe Misericórdia, FGMC
Mosteiro da Divina Misericórdia

A partir desta publicação em nosso site, iniciaremos a série de postagens da Lectio Divina, com o intuito de fornecer um conteúdo para auxiliar na oração e formação necessárias para a salvação. Explicamos o que é, e como realizar esta prática da leitura espiritual ou leitura orante da Bíblia. Esta oração é também um alimento divino, do qual alcançamos forças para nossa caminhada.

Na Igreja Católica existe um método tradicional de ler a Sagrada Escritura e fazer a experiência viva de diálogo com Deus que nos fala, e a quem devemos aprender a escutar, e permitir que nos conduza para a plena comunhão com Ele. A Lectio Divina não se reduz a um estudo bíblico; é, antes, experiência de Deus: é uma prática cotidiana não apenas dos monges, mas acessível a todo cristão.

Se você quer percorrer essa peregrinação orante, procure um lugar tranquilo - de preferência, onde esteja solitário, livre de ruídos e de tudo aquilo que possa levá-lo à distração. Escolha um texto da Sagrada Escritura. Pode ser o Evangelho do dia. Hoje utilizaremos a passagem da mulher adúltera (João 8,1-11). Coloque-se em uma postura confortável, acalme-se, respire fundo, peça a presença do Espírito Santo para te iluminar e dar a graça de um coração atento para ouvir a voz de Deus.


Ao ler a passagem, permita que em sua imaginação se desenvolva a cena dos escribas e fariseus apresentando para Jesus uma mulher surpreendida em adultério - pecado que, segunda a Lei Mosaica, devia ser castigado com o apedrejamento até a morte. Os escribas e fariseus queriam não somente apedrejar essa mulher, mas colocar Jesus à prova. Jesus, conhecendo o que havia em seus corações inclina-se e começa a escrever com o dedo no chão. O significado desse gesto e o que ali escrevia é uma pergunta que o Evangelho deixa para cada um de nós responder. Como eles esperavam, indagando sua resposta, Jesus se levanta e diz: “Quem de vós estiver sem pecado, seja o primeiro a lhe atirar a pedra!” Começaram a sair, começando pelos mais velhos. Por fim, Jesus fica a sós com a mulher. Então, estabelece com ela um diálogo maravilhoso: “Mulher, onde estão eles? Ninguém te condenou?” Ela respondeu: “Ninguém, Senhor” Então Jesus disse: “Nem eu te condeno. Vai, e de agora em diante não peques mais”.

Esta é apenas uma narração, convido-o a ler na íntegra o Evangelho em que este fato foi escrito (Jo 8,1-11). Siga os seguintes passos:

1- Leitura (Lectio) Leia calmamente a passagem, sem pressa de prosseguir nos versículos – não é necessário que a leitura seja feita até o fim, imediatamente –. Assim que se sentir tocado por alguma das palavra ou frases, é momento de parar.

“Jesus foi para o monte das Oliveiras. De madrugada, voltou de novo ao Templo. Todo o povo se reuniu em volta dele. Sentando-se, começou a ensiná-los. Entretanto, os mestres da Lei e os fariseus trouxeram uma mulher surpreendida em adultério. Levando-a para o meio deles, disseram a Jesus: “Mestre, esta mulher foi surpreendida em flagrante adultério. Moisés na Lei mandou apedrejar tais mulheres. Que dizes tu?” 
Perguntavam isso para experimentar Jesus e para terem motivo de o acusar. Mas Jesus, inclinando-se, começou a escrever com o dedo no chão. Como persistissem em interrogá-lo, Jesus ergueu-se e disse: “Quem dentre vós não tiver pecado, seja o primeiro a atirar-lhe uma pedra”. 
E tornando a inclinar-se, continuou a escrever no chão.
E eles, ouvindo o que Jesus falou, foram saindo um a um, a começar pelos mais velhos; e Jesus ficou sozinho, com a mulher que estava lá, no meio, em pé. Então Jesus se levantou e disse: “Mulher, onde estão eles? Ninguém te condenou?” Ela respondeu: “Ninguém, Senhor”. Então Jesus lhe disse: “Eu, também, não te condeno. Podes ir, e de agora em diante não peques mais”.

2- Ruminação (Ruminatio) Releia – se necessário – ou atento à palavra ou cena que te chamou atenção, coloque-se no lugar do personagem, imagine-se na cena. Qual lição encontra aí para a sua vida? Já fez as vezes de escriba ou fariseu na vida de alguém, condenando? Sente-se como a mulher adúltera? Peça o perdão ao Senhor! Ou você precisa oferecer o perdão a alguém? “Como é difícil, muitas vezes, perdoar! E, no entanto, o perdão é o instrumento colocado em nossas frágeis mãos para alcançar a serenidade do coração.” (Bula Misericordiae Vultus, n.10.)

3- Oração (Oratio) No passo anterior permitimos que Deus fale conosco através da Palavra. Agora é momento de falarmos para Ele de tudo aquilo que despertou em nós sentimentos e desejos de mudança. Sejamos sinceros, tiremos as ‘máscaras’. Diga e peça tudo o que desejar. Deixe brotar do seu coração uma oração simples e genuína, confiante na misericórdia do Pai.

4- Contemplação (Contemplatio) Neste momento é necessário silenciarmos e permanecermos com a presença amorosa e misericordiosa de Deus, sem nada pedir ou agradecer, simplesmente sentir-se fortalecidos por Ele.

Que a Palavra de Deus seja a força, o sustento e alegria da nossa vida!

veja também

0 comentários

Visite-nos

Mosteiro da Divina Misericórdia
Estrada Vicinal João Lopes da Silva
Km 6, Baliza
Lucélia-SP

Contato

Mosteiro da Divina Misericórdia
Caixa Postal 25
CEP 17780-000
Lucélia-SP
Telefone: (18) 99723-1993

Vocacional

Ir. Gabriel, FGMC
vocacionalmisericordia@hotmail.com
(14) 99800-1328